A Recolha de dados junto aos agregados familiares para o Inquérito sobre Despesas e Receitas e Emprego em Angola- IDREA 2018/19, teve início a 5 de Março de 2018 e terá a duração de 12 meses. As informações recolhidas servirão de suporte para a formulação de políticas e programas sectoriais do Governo, como também fornecerá dados socioeconómicos indispensáveis para o acompanhamento da evolução das condições de vida da população residente no território nacional. Por outras palavras o inquérito permitirá calcular indicadores sobre pobreza em Angola, actualizar os ponderadores para o cálculo do índice do preço ao consumidor para as contas nacionais, perfil do emprego em angola e outros indicadores relevantes para desenho de políticas a favor das populações.

O IDREA é representativo a nível nacional, por província e área de residência (urbana e rural).

O tamanho de amostra é 1.368 (mil e trezentos e sessenta e oito) conglomerados e deste número já foram cobertos em 6 meses 798 conglomerados, isto é cerca de 58,3% a nível do território nacional. Por outras palavras do total de 12.448 Agregados familiares previstos na amostra foram cobertos até ao 14º período de recolha de dados 7.284 Agregados familiares.

De forma a garantir a qualidade dos dados recolhidos têm sido realizadas visitas de supervisão (nacional e provincial) em todas as províncias do país.

Durante a operação de campo os agentes de campo (inquiri quês) têm-se confrontado com alguns constrangimentos basicamente ligadas a: constantes ausências dos agregados familiares e dificuldades para aceder as zonas de difícil acesso.

O Incremento da publicidade nos órgãos de comunicação social, entrevistas e realização de palestras tem sido uma forma de sensibilizar a sociedade e em particular os agregados familiares, de forma a responder positivamente os agentes de campo do Instituto Nacional de Estatística.

A previsão da conclusão da recolha de dados no campo aponta para Fevereiro de 2019 e a publicação dos resultados definitivos entre Julho a Setembro de 2019.