O processo de compilação das Contas Nacionais pressupõe melhorias constantes, tendo em conta a necessidade de aproxima-lo o quanto possível a realidade dos factos.

Desde o início da série, com a aplicação do Sistema de Contas Nacionais de 1993, o processo de cálculo do Valor Constante da Administração Pública tem sido elaborado com base na deflação do valor corrente, utilizando para o efeito a média do IPC e os resultados foram sempre aceitáveis, enquanto os preços não fossem demasiado voláteis.

A melhor prática exige que, em situações como esta, se deve utilizar o preço da Administração Pública resultante da produtividade de cada trabalhador, resultante da relação entre a massa salarial e o número de pessoas assalariadas, salvaguardando as respectivas ponderações.

Com a disponibilização recente das informações acima mencionadas, pelo Ministério das Finanças, referentes ao período do 1º trimestre de 2013 ao 2º trimestre de 2018, que permitem os cálculos mais apropriados, o INE considerou oportuno substituir a metodologia até então utilizada, para adoptar a referida no parágrafo anterior, com impacto na variação real do PIB, sem no entanto mudar a sua tendência ao longo da série.

O INE anuncia, adicionalmente, que brevemente serão publicados os resultados do Novo Ano de Referência 2014 das Contas Nacionais em fase de elaboração, de acordo com o Sistema de Contas Nacionais de 2008 (SCN 2008), em substituição do actual Ano Base 2002 baseado no SCN 1993.

Posteriormente, com base nos resultados do Inquérito às Despesas, Receitas e Emprego em Angola (IDREA 2018-2019); Recenseamento Agro-pecuário e Pescas RAPP 2018-2019); 2º Recenseamento de Empresas e Estabelecimentos (REMPE-2), será implementado o Novo Ano Base 2019 das Contas Nacionais.

Os processos de migração do SCN 1993 para o SCN 2008 e a mudança do Ano Base poderão impactar nos resultados, quando comparadas as duas séries das Contas Nacionais.

 

PRINCIPAIS RESULTADOS

O Produto Interno Bruto (PIB) do II Trimestre 2018, em termos homólogos, variou (-7,4%) em relação ao II Trimestre de 2017.

 

Nota de Imprensa Contas Nacionais Trimestrais