Nota de Apresentação

Instituto Nacional de Estatística de Angola (INE) está, definitivamente, a avançar para o alcance definitivo de seus objectivos que incluem a dinamização, coordenação, recolha, tratamento e difusão da informação estatística oficial do país. O reforço da democracia e do direito de cidadania, assim como dos níveis de desenvolvimento sustentáveis baseados nos pilares sociais, económicos, ambientais e culturais, deve ser sustentado com informação estatística.

A certeza de que o INE está no caminho certo reflete-se nos desafios vencidos num passado recente, como foi a realização do primeiro Recenseamento Geral da População e Habitação 2014 no País, a realização do Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde (2015/2016) e, em curso, a realização do Inquérito sobre Despesas, Receitas e Emprego em Angola (IDREA) e, em preparação o Recenseamento Agro-Pecuário e Pescas (RAPP) e o Recenseamento Empresarial e de Estabelecimentos (REMPE). O reforço e melhoria, cada vez mais, da produção de produtos infraanuais como o Inquérito à Indústria, o Índice de Preços no Consumidor nacional, a compilação das Contas Nacionais anuais e trimestrais, a produção do Índice de Preços a Exportação e Importação (IPEI), Coordenação das estatísticas sectoriais através dos Órgãos Delegados do INE (ODINE), a implementação da Estratégia Nacional de Desenvolvimento Estatístico, o constante reforço e sustentabilidade dos Serviços Provinciais do INE (SPINE) e a contínua execução central do Sistema Estatístico Nacional superiomente coordenado pelo Conselho Nacional de Estatística (CNEST), são factos indelebeis da nossa instituição.

A Estratégia África 2063, os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável 2030, a Estratégia Regional de Desenvolvimento da SADC, o Plano de Desenvolvimento Nacional  2018-2022, a Estratégia de Harmonização da Estatística em África, são elementos básicos para os quais o INE de Angola dirige o seu trabalho.

A implementação em Abril de 2018 do Código de Boas Práticas visou incorporar uma orientação séria e responsável perante os “Princípios Fundamentais das Estatísticas Oficiais”, estabelecidos pela Comissão de Estatística das Nações Unidas em 1941 e aprovados pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Janeiro de 2014, e da Carta Africana de Estatística adoptada em 2009, sobre a independência e a responsabilidade dos órgãos oficiais das estatísticas oficiais, acrescenta o desejo de informar melhor os usuários sobre a forma e qualidade das estatísticas públicas produzidas pelo INE.

A porta de entrada para o INE online foi renovada. O nosso website apresenta um grafismo actualizado, melhorias nas funcionalidades e um acesso aos dados mais célere e intuitivo. As alterações reflectem não só o acompanhar, por parte do INE, das tendências tecnológicas e das directrizes internacionais no que diz respeito às entidades de estatística, como espelham também o desiderato do INE de ir ao encontro das necessidades dos nossos utilizadores.

De entre as novas funcionalidades, de destacar o menu para as publicações do Instituto, que se divide em seis grandes temas: População e Sociedade; Economia e Finanças; Comércio Internacional; Agricultura, Floresta e Pesca; Indústria, Energia e Construção; Serviços. Por fim, de ressaltar três novas áreas que permitem a interacção directa dos utilizadores com o INE: Solicitação de Serviços, Sugestões e Questionário de Avaliação.

Os indicadores estatísticos têm uma nova abordagem, com gráficos dinâmicos, que se dividem por: População; Comércio Internacional; Índice de Preços; Empresas. Aqui os utilizadores podem cruzar as diversas informações recorrendo a filtros, tendo a oportunidade de analisar, por exemplo, o crescimento da população em Angola, os principais produtos importados e exportados no país, a evolução do Índice de Preço no Consumidor Nacional (IPCN) e do Índice de Preços Grossista (IPG) ou dados relacionados com o número de empresas no país.

O sub-menu Biblioteca INE permite aos utilizadores aceder à lista de todos os livros disponíveis no Centro de Documentação do Instituto Nacional de Estatística.

Na área de Registo Geral de Empresas, após o login, os utilizadores podem, mediante o preenchimento dos respectivos campos, iniciar o processo de registo e a actualização do registo estatístico das suas organizações (sujeitos a posterior validação e seguimento por parte do Instituto).

A renovada presença digital do INE vem assim garantir uma experiência mais dinâmica e funcional, com maior facilidade de utilização e acesso a mais informação estatística. É nosso desiderato que você que nos está a ler e tem a pretensão de aceder as nossas publicações e informações, seja mais um colaborador com sugestões permitindo-nos melhorar cada vez mais.

A renovação deste espaço permite, assim, mostrar claramente a implementação dos compromissos das estatísticas oficiais em relação à qualidade e abertura e acesso, não deixando ninguém para trás. Espero que isso traga aos nossos usuários todos os elementos que lhes permitirão entender melhor nossas estatísticas e, assim, usá-las da melhor maneira possível.

Seja bem-vindo a nossa página e acreditamos que teremos o prazer de o acolher com bastante frequência. Encontre-nos também no linkedin e no facebook.

Instituto Nacional de Estatística, Luanda aos 01 de Outubro de 2018

Camilo Ceita
Director Geral INE Angola